05 de Julho de 2017.

Transtornos com Companhias Aéreas - Que medidas tomar para buscar indenização?

Na volta das férias são muitos e conhecidos os problemas enfrentados pelos que utilizam transporte aéreo no Brasil, como vôos atrasados, overbooking, longas filas de embarque, extravio de bagagens, entre outros transtornos. A advogada Karina Azen, do escritório ENA Advogados, de Porto Alegre, alerta que essa fatalidade que envolve prejuízos financeiros e de ordem moral, pode ser ressarcida pela justiça. Fique atento a algumas situações:


Vôo incompatível com o horário de conexão

A advogada recomenda que o passageiro reúna toda a documentação, como copias de passagens, hotéis, despesas diversas, entre outros documentos. “Filmagens e gravações também ajudam muito na hora da sentença”, aconselha. Segundo Karina, é importante ainda tentar ter nome e telefone de testemunhas e ainda comunicar a ouvidoria da empresa aérea para registrar a reclamação. “O tempo ideal para entrar com a ação é dentro do semestre que ocorreu o transtorno”, informa a advogada, que foi vítima do caso citado acima. (Processo nº 001/1.16.0019933-0).


Bagagem Extraviada

Em caso de bagagem extraviada, a advogada informa que se pode solicitar judicialmente indenização por danos à companhia aérea, afinal, é dela a responsabilidade pela guarda da bagagem do momento em que você a entrega para o embarque até o momento em que a recebe de volta. A advogada Karina Azen também aconselha que o passageiro guarde o canhoto do recibo de bagagem e comprovantes de eventuais gastos que fez por não ter à mão os itens da bagagem.


Cancelamento de voo e não devolução dos valores

Outro problema bem comum nos aeroportos são os cancelamentos de voos por motivo de força maior. No caso de uma tempestade, uma companhia área cancelou um voo de Florianópolis para Porto Alegre. Os passageiros Karina Azen e Ronaldo Espíndola foram informados no balcão de atendimento que a empresa não recolocaria eles em um voo de outra companhia área, em horário mais tarde. Bem como, não pagaria o táxi e nem ofereceria estadia em hotel, visto que o voo era noturno. De acordo com os passageiros, a Companhia apenas disponibilizou ônibus sem oferecer lanche. Outro transtorno foi que a empresa informou através da ouvidoria que não pagaria a diferença entre passagem de ônibus e avião. Os passageiros entraram com pedido judicial de danos materiais e danos morais. As partes fecharam acordo no processo nº 9025625-59.2016.8.21.0001 no valor de R$ 3.500,00 para cada um dos autores.

TAG: Direito do Consumidor  
Compartilhe:
Site

Somos pessoas defendendo pessoas. Famílias e Sucessões, Trabalho, Ensino, Tributos... Atendimento em local de sua escolha.

FALE CONOSCO

TELEFONE: (51) 3023-6555
(51) 99151-4321
EMAIL: contato@ena.adv.br

ENDEREÇO:
Rua Gen. Andrade Neves, 90/Cj.92
Centro Histórico, POA/RS
CEP: 90010-210
Copyright ©2015 ENA ADVOGADOS. All Rights Reserved Desenvolvido por LH WEB